Snowden, Big Brother e Algumas Mudanças

Por Celso Azevedo em 10 de Janeiro de 2014 - Opinações, Tecnologia

É rara a semana que não aparece uma nova notícia que fala no sistema de espionagem que países como os EUA e Reino Unido criaram, com a ajuda de outros países como o Canadá, Suécia, entre outros. Para ser sincero, não fiquei tão chocado pelas informações que os documentos que o Edward Snowden passou para a imprensa mostram.

Já tinha lido algumas coisas sobre este assunto da privacidade online. Não fazia ideia de que até andavam a meter back doors no meu sistema operativo nem que enfraqueciam a encriptação, mas tinha consciência que principalmente os Estados Unidos estavam a abusar (normal, com as leis que aprovaram depois do 11 de setembro, tinha que dar merda).

Sou contra este nível de espionagem contra a população. Não me venham com a conversa do terrorismo porque até mesmo com esta vigilância toda o terrorismo acontece, para não falar em algumas explicações oficiais que deixam muitas dúvidas no ar. Prefiro um pouco de medo a ficar sem privacidade e liberdade. Além disso, haverá sempre abusos e o risco do big brother ser usado contra nós.

1984

O Big Brother, filme 1984.

O Chrome já não é o que era

Por Celso Azevedo em 18 de Junho de 2013 - Opinações, Tecnologia

ChromeEm 2011, depois de comprar o meu macbook pro, aproveitei a mudança de sistema operativo para testar os browsers mais conhecidos no novo sistema. Até aí usava sempre o Firefox e estava satisfeito com ele, mas o design da versão para mac não encaixava na perfeição com o design do OSX e então passei alguns dias a testar o Safari e o “novo” Chrome.

O Safari tinha as opções básicas, era rápido, integrava-se melhor com o sistema operativo, mas tinha (e continua a ter) poucos plugins e os plugins que tinha, normalmente tinham menos qualidade que as versões para Firefox (o firebug é um desses exemplos).

Decidi então testar o Google Chrome. Era um browser com uma aparência simples e leve, era rápido a abrir e a carregar páginas, atualizava sozinho e não era necessário instalar flash e outros plugins. Depois da experiência passei a usar o Firefox apenas quando precisava de usar o firebug e até agora tem sido o meu browser principal.

Duas Semanas com o iPhone 5

Por Celso Azevedo em 29 de Janeiro de 2013 - Opinações, Tecnologia

Iphone5No inicio desde mês comprei um iPhone 5, depois do micro usb do meu Samsung Galaxy S2 ter avariado (não carregava bem e deixei de o poder ligar ao computador por cabo).

A minha primeira opção era o Nexus 4 da Google por 3 razões: não é muito caro e tem o que preciso, tem updates rápidos do sistema operativo e usa o Android, um sistema operativo que gostei de usar no Galaxy S2. Infelizmente as duas versões do telemóvel estavam (e continuam) esgotadas no Google Play e depois de alguma procura decidi testar o iPhone.

Depois de usar o telemóvel durante duas semanas, esta é a minha opinião sobre ele. Em comparação com o Galaxy S2:

Os pontos positivos:

  • Fluidez do sistema e das aplicações,
  • Integração com o Mac OS,
  • Muitas aplicações,
  • Aparência do telemóvel e do sistema operativo,
  • Qualidade do ecrã.

Os pontos negativos:

  • Existem mais aplicações pagas do que no android,
  • A camera não é a melhor, as fotos tiradas em movimento ficam péssimas (acho que a do Galaxy S2 era melhor),
  • É preciso usar o iTunes e fazer tanta coisa para usar uma música como toque (nem nos telemóveis antigos isto acontece!),
  • O safari é um “mau” browser, valha-nos o São Google Chrome,
  • Apple Maps… era suposto isto substituir o Google Maps?

As coisas que fazem falta:

  • Um gestor de ficheiros como o do Android onde podemos navegar pelas pastas, mover, remover e alterar ficheiros,
  • Widgets no ecrã principal… mas o ecrã principal do iOS é um
  • Um sistema de login único para todos os serviços ou aplicações do Google.

Opinião Geral:

O iPhone 5 é um bom telemóvel, mas pelo menos esta versão não é nada de outro mundo. Não estou arrependido de o ter comprado, mas também não fico admirado com a queda no número de vendas do iPhone. É que agora existe concorrência a altura ou até superior ao smartphone da Apple.